CATI promove ciclo de palestras e capacita produtores de leite em Lutécia

Com o objetivo de capacitar os produtores de leite de Lutécia e região, a Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), junto com a prefeitura do município de Lutécia, o Sindicato Rural Patronal de Paraguaçu Paulista e Região, além de outros parceiros, promoveu o 1.º Ciclo de Palestras de Gado Leiteiro de Lutécia. O evento gratuito ocorreu no Centro Comunitário Henrique Botteri e reuniu cerca de 110 participantes no último dia 11 de maio.

A ideia de realizar o ciclo de palestras voltado aos produtores de bovinocultura de leite teve início após uma reunião entre o diretor da CATI Regional Assis, Cristiano Geller, o responsável pela Casa da Agricultura (CA) de Lutécia, Rogério Fantini, produtores de leite e outros representantes no intuito de discutir a necessidade de capacitação junto aos interessados nessa cadeia produtiva. “Os produtores presentes na reunião elencaram temas importantes para serem abordados na capacitação”, explica o responsável pela CA de Lutécia.

Em prol do sucesso do evento, a CATI Regional Assis disponibilizou técnicos e recursos e buscou parcerias com outras entidades e empresas e também do Núcleo de Produção de Sementes (NPS) da CATI de Paraguaçu Paulista.

Os palestrantes, todos do quadro da CATI, repassaram seus conhecimentos sobre o controle estratégico de parasitas, o controle da mosca-dos-estábulos, a produção eficiente de silagem de milho, as noções sobre pastejo rotacionado e manejo eficiente de ordenha e qualidade do leite. O evento contou com cerca de 110 participantes.

De acordo com o diretor da CATI Regional Assis, a capacitação foi ao encontro do apelo dos produtores relacionados aos impasses mais usuais enfrentados nas propriedades. “Um problema recorrente se refere à produção eficiente de alimentação, de forma a atender às exigências nutricionais dos animais com custo acessível aos produtores”, exemplificou. Também no evento, o NPS levou ao conhecimento dos produtores a venda de mudas e divulgação de sementes produzidas pela CATI.

       


Ricardo Rodrigues Rossetto, produtor de leite há 11 anos, disse que a palestra sobre manejo eficiente de ordenha foi a que mais chamou sua atenção. “Procuro sempre participar de oficinas de capacitação porque sempre tem alguma informação que vai agregar no melhoramento da minha produção. Nesse caso, levei meu funcionário para aprender mais sobre o manejo de ordenha e as explicações foram muito proveitosas”, opinou o produtor.

Produtor de leite há mais de 50 anos, Simão Sérgio Gilotto se preocupa com a mosca-dos-estábulos. “A palestra sobre a mosca foi muito importante porque ela é uma praga que prejudica a nossa atividade. No geral, acredito que o evento foi nota 10”, disse o produtor.

“Classifico o primeiro evento como bem-sucedido. Conseguimos levar informações aos produtores rurais, de acordo com a sua própria demanda”, afirmou Rogério Fantini. O próximo ciclo de palestras deve ser realizado no próximo ano, conforme as novas demandas por parte dos produtores.


Mosca-dos-estábulos

A CATI, sensibilizada com o problema da mosca-dos-estábulos, propôs uma reunião conjunta entre as usinas e os fornecedores de cana-de-açúcar da região que utilizam a vinhaça na fertirrigação da cultura da cana. Dois especialistas da CATI no assunto, os médicos veterinários Sidney Ezídio Martins, diretor da CATI Regional General Salgado, e Cláudio Camacho Menezes, da CATI Regional Fernandópolis, explicaram sobre a biologia, o controle e a disseminação da mosca, além de medidas de controle, tanto no ambiente interno das propriedades rurais quanto em usinas e fornecedores de cana. A reunião aconteceu no último dia 10 de maio.

Mais informações: (19) 3743-3870 ou 3743-3859
jornalismo@cati.sp.gov.br